Sáb29022020

Back Início Pensatas Matutando Pense Nisto Depoimentos Dov Avnon - Dispensação da Graça de Deus

Dov Avnon - Dispensação da Graça de Deus

dispensacao-da-gracaNasci há 52 anos em Israel. Fui educado como Judeu e nunca cri que um dia estaria tão ocupado com a leitura e ensino do chamado Novo Testamento ou a crença em Jesus Cristo. Até à idade de 21 anos eu não ouvi muito sobre a necessidade dos Judeus também necessitarem de ser salvos. Bem, eu não era religioso, por isso não sabia muito sobre Deus. Na escola nós aprendemos muito sobre o Velho Testamento mas não consigo dizer no que cria nessa altura.

Eu nasci de pais oriundos do Leste Europeu o que significa que eles sofreram na Segunda Guerra Mundial e perderam familiares. Portanto falar de Cristo tem muitas associações com a perseguição Judaica no passado.

Os anos decorriam e penso que no início dos anos setenta eu comecei a pensar mais na vida. Depois de servir durante 3 anos no Exército, com a idade de 22 anos comecei a minha vida como homenzinho. Eu viajei para a parte sul de Israel procurando divertir-me por ali. Por alguma razão eu levei comigo uma cópia do Velho Testamento.

Durante o meu trabalho ali encontrei-me muitas vezes com dois jovens evangelistas Holandeses chamados John Pex e David Lázaros, oriundos dos EUA. Eles deram-me algo para ler sobre Cristo nos 2 Testamentos e convidaram-me algumas vezes para visitar a sua tenda onde costumavam ensinar a Bíblia às pessoas. Passaram-se umas semanas e decidi finalmente começar a juntar-me aos estudos numa tenda próxima da praia. Portanto não havia nenhum edifício de igreja, mas apenas a Bíblia aberta.

Lembro-me de ter compreendido muito depressa o ponto principal - que Jesus Cristo é o Messias. Eles também me explicaram muito claramente o caminho da salvação. Explicaram que um Judeu também pode obter a dádiva da vida eterna por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Lembro-me que um dia quando todos estavam a orar eu também orei e agradeci ao Senhor pelo que Ele fez por mim na cruz. Assim, com a idade de 22 anos eu soube que fui salvo pelo sangue de Jesus Cristo.

Comecei então assim a minha vida como crente. Primeiro regressei a minha casa para falar aos meus pais sobre as boas notícias que para eles não eram de modo algum uma boa notícia. É raro um Judeu dizer que crê em Cristo. Também para mim as coisas no princípio não foram fáceis. Eu estava feliz e cria no Evangelho mas queria conhecer mais e não sabia realmente que direcção tomar. Visitei uma igreja próxima da casa dos meus pais mas não era o que realmente eu estava à espera.

Portanto, eu tinha a Bíblia na minha mão mas necessitava de mais instrução, alguém que me ajudasse a compreender mais a Palavra de Deus. Quando estava em Eilat encontrei diferentes pessoas e algumas delas da Holanda. Assim, decidi viajar à Europa – à Holanda e à Inglaterra. Foi bom ter encontrado diferentes crentes. Eu desfrutei da hospitalidade da família de um dos evangelistas que me falaram deste Evangelho maravilhoso. O seu nome era Johan Schep. Portanto, os pais dele convidaram-me a ficar com eles.

Crer em Cristo é uma coisa e compreender a Bíblia e o plano e propósito de Deus é outra. Quando visitei os crentes no Reino Unido eles começaram a falar-me alguma coisa sobre o “manejar (dividir) bem a Palavra”, sobre o plano de Deus para a Igreja, “o Corpo de Cristo.” Eles disseram-me que neste período da graça não há diferença entre Judeus e Gentios. No início, para mim, foi difícil de aceitar que agora como Judeu eu não sou especial para Deus, senão apenas como pecador à semelhança de toda a gente.

Por outro lado ao aprender sobre o manejar bem a Palavra da verdade as coisas tornaram-se mais claras. Eu comecei a compreender que o Senhor Jesus Cristo deu a Paulo um diferente Evangelho e a Bíblia tornou-se para mim num livro aberto.

Eu fiquei muito feliz com aquela nova verdade que eu aprendi. Também descobri que a maior parte dos crentes são contra ela e não são abertos para examinar as Escrituras. Eu regressei a Israel e fiquei ali um mês com os irmãos e irmãs que me mostraram inicialmente o caminho da salvação, mas pouco depois decidi avançar. Eu tinha fome da Palavra de Deus e desejava penetrar na Sua profundidade.

Ao visitar de novo o irmão e irmã, no Reino Unido, que me conduziram à verdade da Palavra bem manejada, eu orei ao Senhor e disse-Lhe que eu cria que esta era a verdade e que independentemente dos custos que ela encerrava, tencionava firmar-me nela. Na altura deram-me a ler os escritos de C. R. Stam da Berean Bible Society. Comecei assim a estudar tudo sobre a revelação do mistério.

Agradeço ao Senhor porque quando regressei do Reino Unido à Holanda pude ficar ali alguns meses tendo dedicado o tempo ao estudo da Palavra. Passei o tempo a ler e a examinar cada passagem das Escrituras nos chamados 4 Evangelhos e a compará-las com o que lia nas cartas de Paulo.

Assim como o meu primeiro amor foi o dia em que aceitei Cristo como meu Salvador, o meu segundo amor foi o dia em que entrei na compreensão da dispensação da Graça de Deus que o Senhor Jesus Cristo deu ao apóstolo Paulo.

dov-avnon

 

 

Prateleira

Este é o homem a quem olharei...

0-este-e-o-homem-a-quem-olharei

"Treme da minha palavra...", Isaías 66:1-2

Como isto te parece? O Altíssimo, busca atentamente algo nos homens, algo cujo valor transcende as iguarias dos príncipes desta terra.