Dom17122017

John Newton

john-newton

JOHN NEWTON POR SUAS PRÓPRIAS PALAVRAS

 "Eu nasci em Londres em 24 julho de 1725, do modo antigo1. Meus pais, apesar de não serem ricos, eram respeitáveis. Meu pai foi por muitos anos capitão de um navio mercante no Mediterrâneo. No ano de 1748 ele foi governador de York Fort, na Baía de Hudson, onde morreu no ano de 1750.

Minha mãe era uma mulher piedosa, e membro da igreja do falecido doutor Jennings. Ela era fraca de saúde, amava o isolamento do lar, e, como eu era o seu único filho, ela fez disso o negócio principal e prazer de sua vida em me instruir e me trazer na disciplina e na admoestação do Senhor. Foi-me dito, que, desde o meu nascimento, ela tinha em sua mente, me dedicado ao ministério; e que, se ela estivesse viva até eu ter de uma idade adequada, eu era para ter sido enviado para Saint Andrew, na Escócia, para ser educado. Mas o Senhor tinha designado de outra forma. Minha mãe morreu antes de eu ter sete anos de idade.

Eu era um pouco sedentário, não muito ativo e brincalhão, como comumente são os meninos, mas parecia tão disposto a aprender como minha mãe foi para me ensinar. Eu tinha alguma capacidade, e uma memória retentiva. Quando eu tinha quatro anos, eu já podia ler, (exceto nomes difíceis) bem como eu posso agora, e podia também repetir as respostas para as perguntas do "Breve Catecismo da Assembleia"2, e todos os "Pequenos Catecismos" 3 do doutor Watt com as provas, e os hinos para as crianças 4.

Quando meu pai voltou do mar, após a morte de minha mãe, ele se casou de novo. Minha nova mãe era filha de um pecuarista abastado em Aveley, Essex. Ela parecia disposta a me adotar e criar; mas, depois de dois ou três anos, ela teve seu próprio filho, que tomou conta totalmente das atenções de meu pai. Meu pai era muito sensível, e um homem moral, na medida da moralidade do mundo, mas nem ele, nem a minha madrasta, estavam sob as impressões da religião: Eu estava, portanto, deixado aos meus próprios cuidados, para se misturar com os meninos ociosos e perversos, e logo aprender seus caminhos.

Eu nunca fui na escola, salvo cerca de dois anos; dos meus oito até os dez anos. Era um colégio interno em Stratford, em Essex. Embora meu pai me deixasse pelas ruas, porém, quando estava sob seus olhos, ele mantinha uma grande distância de mim. Estou convencido de que ele me amava, mas ele não parecia querer que eu devesse saber isso. Eu estava com ele em um estado de medo e servidão. Sua severidade, juntamente com a gravidade de meu professor, quebrou e apavorou meu espírito, e quase fez de mim um estúpido, de modo que dos dois anos que eu estive na escola, em vez de fazer algum progresso, eu quase esqueci tudo do que minha boa mãe me ensinou.

Quando eu tinha onze anos, fui a bordo do navio de meu pai em Longreach. Fiz cinco viagens com ele para o Mediterrâneo. No decorrer da última viagem, ele deixou-me alguns meses em Alicante na Espanha, com um comerciante, um amigo particular. Com ele eu poderia ter me dado bem, se eu tivesse me comportado, mas, por esta altura, minhas propensões pecaminosas tinham ganhado força pelo hábito: eu era muito mau, e, portanto, muito tolo, e meu próprio inimigo era eu e parecia determinado que ninguém deveria ser meu amigo.

Meu pai deixou o mar em 1742. Fiz uma viagem depois a Veneza; e logo após meu retorno, fui recrutado para a tripulação do Harwich. Então comecei minha excessivamente louca carreira, como registrado na Narrativa; a qual, e para as cartas trocadas com uma senhora, devo aludir a você para quaisquer outras datas e incidentes. 

 

"Atenciosamente, 
John Newton 
19 de dezembro de 1795."

 

1. Referência ao calendário Juliano. O Calendário Gregoriano foi adotado na Grã-Bretanha ao omitir 11 dias de 3 a 13 de setembro, 1752. A partir de então Newton considerou como sendo o seu aniversário em 4 de agosto.
2. O Catecismo de Westminster, 1647, preparado principalmente para instruir as crianças na fé cristã.
3. Doutor Isaac Watts escreveu vários catecismos. Também na forma de catequese foi “Uma breve visão de toda a história da Escritura” (A Short View of the Whole of Scripture History) de 1732, em que Watts diz em seu prefácio que foi originalmente destinado "para pessoas de idade mais jovem, e as pessoas comuns da humanidade".
4. Pelo doutor Isaac Watts, Hinos Divinos em linguagem fácil para o uso de crianças, 1715. Um fac-símile foi publicado pela Oxford University Press em 1971.


Traduzido por Edimilson de Deus Teixeira
Fonte:  The John Newton Project

 

 

Acesse: O Homem em Seu Estado Caído

 

 

 

 

 

 

Fundamentos da Fé

fundamentos
Nada Além de Cristo Jesus
 

Prateleira

Este é o homem a quem olharei...

0-este-e-o-homem-a-quem-olharei

"Treme da minha palavra...", Isaías 66:1-2

Como isto te parece? O Altíssimo, busca atentamente algo nos homens, algo cujo valor transcende as iguarias dos príncipes desta terra.