Sex16112018

Back Início Pensatas Matutando Pense Nisto Artigos Dissociação da Realidade

Dissociação da Realidade

dissociacao-da-realidadeUm triste fenômeno psicológico-urbano dos nossos dias que vem destruindo famílias e relacionamentos de toda sorte.

Trata-se da sensação de ausência que atinge certas pessoas, mesmo que por um curto período de tempo, fazendo com que mesmo fisicamente presentes se sintam e se comportem como que se estivessem ausentes, como se assistindo e vivenciando um mundo paralelo.

Estamos presenciando nos dias de hoje um fenômeno crescente e intrigante chamado Mundo Virtual. Muitas pessoas, principalmente as mais jovens passam horas intermináveis na internet em sites de relacionamentos, salas de chats, paqueras, namoros e sexo virtuais. Nota-se que a alienação e a dissociação da realidade tem sido uma marca frequente nos viciados na web.

E o que esperar deste triste fenômeno psicológico-urbano dos nossos dias além da destruição de famílias e relacionamentos de toda sorte?

Fato é que muitos não sabem mais lidar com o mundo real e concreto, são como estações repetidoras ambulantes, sem entender e sem questionar os valores que vivem. Internautas viciados que quando desconectados da rede se sentem desconectados do mundo.

A comunicação olho no olho se torna um desafio inimaginável, preferem a invisibilidade virtual e não há como negar que é mais fácil falar o que quiser sem mostrar a cara. Entretanto, fora do mundo virtual estas pessoas se sentem meras observadoras dos acontecimentos à sua volta, como se elas mesmas não estivessem presentes, e quando chamadas a interagir com outras pessoas fora do mundo virtual, se ausentam como se invisíveis fossem.

É no mundo virtual onde se realizam, onde “pensam”, onde se “expressam”, onde “conversam”, razão pela qual cada vez mais cresce a sensação de pertencer a este mundo de fantasia, sem sentido, sem limites, sem barreiras. Não é incerto dizer que o que encontram fora deste maligno universo virtual é a Depressão e a hoje também famosa Síndrome do Pânico.

A vida esta sendo sugada a grandes goles e a destruição é assombrosa e sem freios, a associação com a realidade é algo evitado e indesejado, e então, coisas essenciais da vida vão se diluindo e sendo comprometidas e outras desaparecendo...

A World Wide Web (www) não é o único meio para se alienar no mundo virtual, paralelo e fantasioso. Segundo a revista superinteressante de janeiro de 2003, 92% dos americanos entre 2 e 17 anos brincam com videogame ou jogo de computador diariamente, isto representa aproximadamente 60 milhões de game-maníacos somente nos EUA, onde o mercado de videogames movimentava a 4 anos atrás mais de 9 bilhões de dólares, superando até as bilheterias de cinema e onde somente em 2000 foram vendidos mais de 215 milhões de jogos.

Muitos jovens passam horas a fio diariamente jogando videogame. Os games, em geral distanciam o jovem do convívio social e a dissociação da realidade é somente uma questão de tempo.

Assim como a internet e o vídeo game, a televisão também isola o homem do seu ambiente. Hoje temos a TV a cabo com seus quase 500 canais disponívies, é o mundo em nossas mãos, variedade, conforto, entretenimento e informação.

Nem tanto em nossas mãos não é mesmo? Mas sim em nossos olhos, ouvidos, mente e memória. O sistema não se importa muito com os princípios e inteligência do telespectador, a verdade é que independente do controle remoto na TV mais se aceita do que se escolhe.

Fazemos pouco ou nenhum uso da reflexão e do julgamento quando estamos na frente de uma televisão, pois a rápida e ininterrupta sucessão de imagens e sons não nos dá tempo para nenhuma análise séria. Então recebemos uma imensa variedade de crenças sem fundamento e julgamentos no mínimo temerários. Eu diria que na maior parte da sua programação, a TV é um culto ao superficial e ao instantâneo, e quando não ao desprezível. Tudo invadindo a nossa intimidade e habitando o nosso ambiente com nossa inteira permissão.

A dissociação da realidade não caminha sozinha antes traz consigo algo mais trágico e maligno ainda que é o afastamento sistemático de Deus. Vivemos uma tragédia humana sem precedentes e de inimagináveis consequências. Vivemos uma verdadeira revolução na moral, nos costumes, nos hábitos familiares e nas relações de amizade, nada que a humanidade venha a se orgulhar. Vivemos dias maus, dias de apostasia, vivemos o princípio das dores, quem tem ouvidos ouça...

 

Em Cristo,

marcos-teixeira

 

 

Prateleira

Este é o homem a quem olharei...

0-este-e-o-homem-a-quem-olharei

"Treme da minha palavra...", Isaías 66:1-2

Como isto te parece? O Altíssimo, busca atentamente algo nos homens, algo cujo valor transcende as iguarias dos príncipes desta terra.