Qua22112017

João 1:1 - Refutação

Refutação dos argumentos das Testemunhas de Jeová - Jo.1.1

Jo. 1:1: "No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus".

As três cláusulas "a,b,c" se referidas neste artigo: 
Jo. 1:1a "No princípio era o Verbo" 
Jo. 1:1b "e o Verbo estava com Deus" 
Jo. 1:1c "e o Verbo era Deus ". 

O argumento irrefutável

Este verso é tão simples que é impossível entendê-lo errado. Vamos criar uma paráfrase para ilustrar o texto:  

"No princípio era EVA e EVA estava com o HOMEM e EVA era o HOMEM. ELA estava no princípio com o HOMEM". 

Mesmo adontando a paráfrase das TJ, Tradução do Novo Mundo (doravante TNM), com sua falsa inserção de "um deus" no texto, dá no mesmo: 

"No princípio era EVA e EVA estava com o HOMEM, e EVA era um HOMEM. 

Da mesma maneira que "homem" pode se referir a macho à exclusão da fêmea, também Deus pode se referir ao Pai à exclusão do Filho. Porém, da mesma maneira que "homem" pode incluir macho e fêmea como uma classe (Gen 5:2 "Ele os criou macho e fêmea, e Ele os abençoou e os chamou homem"), também "Deus" pode incluir Pai e Filho como uma classe, como em Jo. 1:1.

Comentários iniciais

- É importante notarmos que nossa posição é a única posição que define a palavra "Deus" [theos] em Jo. 1:1-2 com a definição idêntica ao longo do texto (Deus, como um tipo de ser, não como um nome). 

- A palavra "Deus" é usada de duas maneiras. Primeiro "Deus" é usado muitos lugares como a classe genérica de"tipo de ser" como em Gn. 1:1 e Jo. 1:1. Segundo, "Deus" é usado em referência pessoal para o Pai como em Ef. 4:4. 
- O uso de "Deus" como um tipo de ser em Jo. 1:1, reflete Gn 1:1 onde "Deus", como um classe de ser criado e fez "o homem à nossa imagem". De fato, o único substantivo/nome pessoal para Deus é "Jeová", não "Deus". Da mesma maneira que o primeiro capítulo de Gênesis se refere a Deus como "Deus" (substantivo/tipo de ser, não substantivo/nome pessoal) e não é até Gn. 2:4 que Deus é chamado de "Jeová" (o substantivo/nome pessoal), também em Jo. 1:1-13, "Deus" é usado no sentido de "tipo de ser" e é só em Jo. 1:14 que o Pai é identificado! 
- As TJ (arianos), por outro lado, definem o primeiro "theos" [Deus] como um substantivo/nome pessoal para o Pai e o segundo exatamente como fazemos, como um "tipo de ser". A diferença é que as Testemunhas de Jeová definem Jesus como uma tipo de ser inferior e nós, traduzindo as duas ocorrências de Deus de forma idêntica, como um tipo de ser igual! Nossa posição é irrefutável e consistente. 
- Nós temos que reconhecer que os modalistas (United Pentecostal church International, UPCI), porque eles, como nós, definem Deus da mesma forma nas duas vezes que aparecem em Jo. 1:1. Porém, eles definem Deus como um substantivo/name pessoal para a mesma pessoa, querendo dizer que Jesus é a mesma pessoa que o Pai. Isto errado, pois vemos como isso afeta muitas passagens como o batismo de Jesus. Somente perguntamos para os modalistas: "Jesus estava orando a quem? Para Ele mesmo?" Sua resposta é que a metade humana de Jesus estava orando para a metade divina. Assim, embora lhe demos uma medalha de ouro pela consistência, não ganham o prêmio. As Testemunhas de Jeová nem mesmo ganham uma medalha! 
- Os arianos (as Testemunhas de Jeová) e alguns trinitários traduzem de forma errada"e a palavra era divina". Se João quisesse dizer que Jesus tinha qualidades divinas, teria usado o adjetivo para "divino" [theios] como em At. 17:29 e 2 Pe 1:3. Ao invés, João usou a palavra para Deus, "theos"
- Com respeito à tradução "um deus", é bem documentado que o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová citaram erroneamente muitas autoridades gregas com o intento de dar uma conclusão oposta ao que a autoridade de grego queria. Muitas das autoridades usadas para apoiar em notas de rodapé da TNM, foram apagadas como prova disto. Algumas destas autoridades gregas escreveram cartas de repúdio para a Sociedade Torre de Vigia pedindo que parassem e citá-los errado. 
- Não sabemos exatamente por que não há o artigo definido em versículos como Jo. 1:1c; 1:6; 1:12; 1:13; 1:18a; 1:18b. A única coisa que podemos estar absolutamente certos é que "um Deus" não é exigido pelo grego ou pelo contexto! (mesmo se fosse, não muda nada.) As TJ bem informadas irão admitir que "um deus" é possível, mas não é a única tradução. Elas têm que admitir que "o Verbo era Deus" também é uma possibilidade. E.C Colwell sugeriu no Jornal de Literatura Bíblica em 1933, que a razão por não ter o artigo definido em Jo. 1:1c, era para que João quis dizer "o Verbo era Deus" em vez de "e Deus era o Verbo". Embora isto seja possível, esta tradução usando o artigo definido em Jo. 1:1c forçaria o versículo a ler conforme os modalistas querem (onde o Pai e Filho são a mesma pessoa com papéis diferentes). Nós porém, não precisamos dessas explicações, porque somos a única posição que mantém a distinção das pessoas entre o Pai e o Filho, (evitando o modalismo), enquanto cremos que o Pai e o Filho são "Deus", iguale em estatura como Deus (evitando o arianismo e o politeísmo) 
- Parece que as testemunhas de Jeová não sabem que um substantivo com ou sem um artigo definido, não muda em nada seu significado! Por exemplo, não há nenhuma diferença entre dizer indefinidamente: "uma mulher é dona de uma casa" e definitivamente dizer: "aquela mulher é dona de sua casa" (Tt. 2:5). As palavras "mulher", "dona" e "casa" são definidas identicamente, apesar de serem usadas indefinidamente ou definitivamente. A mesma coisa é verdade em Jo. 1:1 e todo outro lugar na Bíblia! Dizer indefinidamente: "Jeová é um Deus" é idêntico a definitivamente dizer: "Jeová é o Deus". De fato, Jeová é chamado de "um Deus" na Bíblia (Mq. 7:18, Lc. 20:38, ICo. 14:33). O significado de Deus é idêntico em ambos os casos. Dizer, "Jesus um deus" é o mesmo que dizer definitivamente: "Jesus é o Deus". De novo, Jesus é chamado O DEUS em Jo. 20:28. e as TJ são forçadas a dizer sem precedentes que um substantivo muda seu significado básico como uma regra geral, quando usado de forma definida vs. indefinida em Jo. 1:1. 

Sabemos que Jo.1.1 na TNM lê "e a Palavra era um deus", no sentido de que Jesus era um deus menor que Jeová. As Testemunhas, para colocarem esse "um" no versículo, criaram uma lei que não existe no grego. Seu objetivo foi unicamente deixar de fazer Jesus Deus igual ao Pai.

Jesus é chamado de "O DEUS" (ie: theos com o artigo definido da mesma maneira que na expressão "e o Verbo estava com O DEUS" em Jo. 1:1) nas seguintes passagens: Jo. 20:28; Ti. 2:13; 2 Pd. 1:1; 1 Jo. 5:20. O Pai e o Filho são chamados de "Deus" tanto com como sem o artigo definido. 
No primeiro capítulo de João, a palavra 'Deus' ('theos' em grego) é usada 13 vezes. Em 7 lugares theos tem o artigo definido (1:1b; 1:2; 1:29; 1:34; 1:36; 1:49; 1:51) Em 6 lugares (1:1c; 1:6; 1:12; 1:13; 1:18a; 1:18b) theos (Deus) está sem o artigo definido. Todo estudioso grego lhe dirá que a falta de um artigo definido não significa que o substantivo deve ser indefinido. O significado destas passagens é o Único Verdadeiro "Deus", embora nenhum artigo definido seja usado. De fato, a prova mais poderosa contra a tradução da TNM como "um deus" em John 1:1 é a própria TNM! [Nota de gramática: A definição de um "artigo definido" é: a palavra "o" na frase "o Deus", se referindo a um Deus específico. Um artigo indefinido é: a palavra "um" na frase "um deus", referindo-se tanto a um como a muitos deuses. A frase "nós temos uma lua" parece indefinida, mas isso sempre vai significar que temos a nossa única lua na Terra. Mas ao dizermos de Júpiter, "nós temos uma lua" se refere a uma de suas muitas luas.]

Em Jo. 1:1; 3:2; 13:3; Rm. 1:21; 1 Ts. 1:9; Hb. 9:14; 1 Pd. 4:11, theos é achado duas vezes, uma vez com o artigo definido e uma vez sem, mas mesmo assim a TNM os traduz como "Deus", não "um deus", exceto em Jo. 1:1! Esta é uma evidência irrefutável do preconceito teológico da TNM. Nota: [N] indica que a linha está sem o artigo definido[S] indica que tem artigo definido. Se a TNM seguisse sua própria "gramática" inventada, traduziria os textos do mesmo jeito como fizemos na coluna da direita. O fato deles não fazerem só prova que a TNM é influenciada por sua teologia e que a regra está errada!

A TNM lê:

Jo. 1:1 "No princípio era a Palavra e a Palavra estava com[S] Deus e a Palavra era [N] um Deus".

A TNM deveria ler assim se seguisse sua própria "regra":

Jo. 3:2: "Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de [N: apo theou] um Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se [S: ho theos] Deus não estiver com ele.

Jo. 13:3: "que ele viera de [N: apo theou] um Deus, e voltava para [Y: pro ton theon] Deus"*

1Ts. 1:9: "e como, deixando os ídolos, vos convertestes a [S: pro ton theon] Deus, para servirdes o [N: theo] Deus vivo e verdadeiro"

Hb. 9:14:"a si mesmo se ofereceu sem mácula a [S: to theo]Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao [N: theo] um Deus vivo!"

* - N. do T.: O "Quadros Verbais do Novo Testamento", de Robertson, diz sobre Jo.13.3:

"O uso de pros ton theon é igual a seu uso em Jo.1.1. Jesus está inteiramente consciente de Sua divindade e messianidade quando diz esta humilde frase" (grifo nosso)

A Tradução do Novo Mundo é uma paráfrase sectária cheia de influência teológica da Torre de Vigia. Eis a prova disso. Veja a seguir todas as ocorrências de THEOS em Jo. 1. No grego original, [N] indica que não tem o artigo definido e [S] indica que tem o artigo definido. Esta é a prova DEFINITIVA que a Torre de Vigia influenciou a TNM.

Como a TNM diz

1.1b - a Palavra estava com [S] o Deus

1.1c - e a Palavra era [N] um deus.

1.2 - Este estava no princípio com [S] o Deus.

1.6 - Surgiu um homem enviado como representante de [N] Deus:

1.12 - se tornarem filhos de [N] Deus

1.13 - nem da vontade do homem, mas de [N] Deus.

como a TNM deveria dizer se seguisse suas próprias regras

- a Palavra estava com [S] o Deus

- e a Palavra era [N] um deus.

- Este estava no princípio com [S] o Deus.

- Surgiu um homem enviado como representante de [N] um deus:

- se tornarem filhos de [N] um deus

- nem da vontade do homem, mas de [N] um deus.

Estes são só ALGUNS exemplos em Jo.1.1 PROVANDO que a TNM colocou "um deus" em Jo.1.1 para ocultar que Jesus é Deus. SE eles fossem coerentes, por que não traduziram da mesma forma no resto do capítulo 1 de João?

REFUTAÇÕES DE ALEGAÇÕES TJ

TJ: A falta do artigo definido exige que Jo. 1:1 seja traduzido por "um deus" e mostra que Jesus é de uma classe menor (uma criatura). Alguns estudiosos gregos e algumas traduções obscuras da Bíblia mostram que "um deus" é a forma correta. 

RESPOSTA: Centenas e centenas de páginas de argumentos bem detalhados já foram escritas sobre "o que o grego" diz sobre "um deus" em Jo. 1:1. Mas não é a Bíblia das Testemunhas de Jeová que é a certa, pois ela não diferencia entre "Deus" e "um Deus". Vamos aceitar sua tradução por um minuto e pensar. Que diferença faz se Jesus é chamado "UM DEUS".

1. Jeová é chamado de "um Deus". (Gn. 16:13; Dt 32:4; 1 Sm. 2:3; 1 Sm. 17:46; 1 Cr. 17:24; Ne 9:17; Ps 5:4; Sl. 7:11; Sl. 68:20; Sl. 86:15; Sl. 89:7; Is. 30:18; Is. 45:15; Jr. 23:23; Jr. 51:56; Dn. 2:28; Mq. 7:18; Lc. 20:38; 1 Cor 14:33.) Até mesmo a paráfrase sectária da Torre de Vigia (TNM) chama Jeová de "um Deus" nas passagens usando a mesma construção em grego. "Ele é um Deus, não de mortos, mas de vivos..." (Lc.20.38)

2. Jesus é chamado de "um Deus" (Gn. 16:13; Dt. 32:4; 1Sm. 2:3; 1Sm. 17:46; Cr. 17:24; Ne. 9:17; Sl. 5:4; Sl.7:11; Sl. 68:20; Sl. 86:15; Sl. 89:7; Is. 30:18; Is. 45:15; Jr. 23:23; Jr. 51:56; Dn. 2:28; Mq.7:18; Lc. 20:38; 1Co. 14:33.) Até mesmo a paráfrase sectária da Torre de Vigia (TNM) chama Jeová de "um Deus" nas passagens usando a mesma construção em grego. "Ele é um Deus, não de mortos, mas de vivos..." (Lc.20.38)

3. No Novo Testamento, há mais de 278 vezes onde "theos" aparece sem o artigo definido mas a TNM sempre traduz como "Deus", não "um Deus", exceto em Jo.1.1.

4. É óbvio que a Torre de Vigia sabe que está traduzindo com preconceito teológico, não seguindo "regras" gregas. Mesmo a The New Treasury of Scripture Knowledgemostra que os tradutores e traduções que escolhem traduzir este versículo como "um deus" ou "divino" são motivados por fatores teológicos, não gramaticais. 

5. Como disse o erudito bíblico John Gill (em "O Expositor"): "não há qualquer objeção(grifo nosso) para a divindade de Cristo, só porque não tem o artigo definido. Quando a palavra é aplicada ao Pai, nem sempre é usada, mesmo neste capítulo (Jo. 1:6,13,18) que mostra que a palavra "Deus", não é o assunto, mas o predicado desta proposição, como nós fazemos. Assim, os judeus usam freqüentemente a palavra Senhor para Jeová, e o chamam Deus. Assim as palavras em Gn. 28:20,21 são parafraseadas pelo Targum Babilônico (que é uma paráfrase aramaica de partes do A.T.): 

"se 'a palavra do Senhor' for minha ajuda, me guardará, etc. então "a palavra do Senhor" será ahlal yl, "meu Deus": 

mais uma vez, Dt. 26:17 é traduzido pelo Targum de Jerusalém: 

“fizestes 'a palavra do Senhor' de rei sobre vós este dia, que será seu Deus:” 

e isto é freqüente com Filo, o judeu que diz que o nome de Deus é Sua Palavra e o chama de "meu Senhor, a palavra divina"; e afirma que a palavra mais antiga é Deus".

TJ: A tradução da TNM de "um deus" em Jo. 1:1 mostra que Jesus é uma criatura.

RESPOSTA: Não! E veja que mostramos acima várias evidências que essa tradução delas está errada. De fato, mesmo errada, sentimos que é uma perda de tempo provar que ela é errada porque isso não as ajuda nem um pouco! 

Note que não há nenhuma diferença entre: 

"No princípio era EVA e EVA estava com o HOMEM e EVA era o HOMEM" (parafraseando a Bíblia de Jerusalém) 



"No princípio era EVA e EVA estava com HOMEM e EVA era um HOMEM". (parafraseando a TNM) 

TJ: MInha Bíblia não coloca "D" maiúsculo em "deus" de Jo.1.1c. Isto mostra que Jesus é uma criatura.

RESPOSTA: Não havia letras maiúsculas no texto grego original. Foram os tradutores da TNM que, por razões teológicas, escolheram não deixar com "D" maiúsculo "deus". Esta é uma grande oportunidade para os trinitarianos. Vamos supor que "um deus" fosse o certo mas só que com "D", ou "um Deus". Não há razão para que as TJ não possam aceitar o deus com "D". Concordamos que Jesus é "um Deus". A Bíblia diz que o Pai também "é um Deus". Não tem como contra-argumentar! (Ge 16:13; Dt 32:4; 1Sm. 2:3; 1Sm. 17:46; 1Cr. 17:24; Ne 9:17; Sl. 5:4; Sl. 7:11; Sl. 68:20; Sl. 86:15; Sl. 89:7; É 30:18; Is. 45:15; Jr. 23:23; Jr. 51:56; Dn. 2:28; Mq. 7:18; Lc. 20:38; 1Co. 14:33.)

TJ: Algumas traduções de Jo. 1:1 dão a idéia correta da linguagem original ao traduzirem: "a Palavra estava com Deus, e a Palavra era divina" ou era "um deus", quer dizer, a Palavra era uma poderosa divindade. (An American Translation)" (Paraíso, uma publicação da Torre de Vigia, p 39-40) 

RESPOSTA: Nenhuma tradução reconhecida e respeitável vai traduzir Jo. 1:1c como "a Palavra era divina" (The Complete Bible: An American Translation, AmT, 1923-35 by E. J. Goodspeed, J. M. P. Smith e 3 outros). A tradução de Moffatt diz: "a Palavra era divina", mas é uma uma tradução muito falha e Moffatt, apesar de ter sido trinitário, estava errado. Nem Goodspeed ou Moffatt quiseram dizer que Jesus era uma criatura pois Pai e o Filho são "divinos", já que os anjos não são. 

Assim, as TJ, apesar de citarem trinitários, deixar de dizer que eles traduzem errado a passagem (como "era divina"). Este não pode ser o caso, porém, pois se João quisesse dizer que Jesus tinha qualidades divinas, teria usado o adjetivo para "divino" [theios] como em At. 17:29 e 2 Pe 1:3. Ao invés, João usou a palavra para Deus, "theos"

Mesmo se nós supormos, numa hipótese, que João queria dizer que Jesus era só "divino", vamos traduzir (com consistência) asim: "A Palavra estava com o divino, e a Palavra era divina". Há alguma dúvida? (apesar de não traduzir Jo. 1:1 corretamente) Todos os argumentos das TJ caem ao chão quando entram num simples debate!

CRISTADELFO: A frase "a Palavra estava com Deus" não significa que o Filho e o Pai são distintos. A "Palavra" (Gr. logos) significa "algo dito" e se refere à fala de Deus na criação ("no princípio" - cp. Gn. 1:1,3). 

RESPOSTA: Os cristadelfos são bastante diferentes dos arianos (TJ) pois negam que Jesus teve qualquer pré-existência pessoal antes do nascimento. A palavra "com" (Gr.pros) significa "para", quando usada com o acusativo como está aqui (Thayer, p.541). A palavra geralmente é traduzida "para" (NKJV) ou "até" (KJV; veja Jo. 1:29,42,47; 2:3; 3:2,4,20,26). Assim esta frase não pode estar se referindo a "uma fala" vindo de Deus.

TJ: João se baseou em Gn. 1.1 (LXX, en arché) para escrever a frase "no princípio era a Palavra". Está claro que "princípio" tem a ver com um preparo material de terra para os animais e os humanos. O uso de João desta frase liga Jesus claramente com a Criação como uma criatura de Deus. 

RESPOSTA: É interessante que as TJ não tem nenhum problema em ligar Jo.1.1 a Gn.1.1 mas esperneiam de indignação quando dizemos que o "EU SOU" de Jo.8.35 é uma referência a Ex. 3.14. Não temos nenhum problema em aceitar que o "no princípio" de João se liga com Gn.1.1, dado os inúmeros paralelos entre os dois relatos ao falar de Deus, o princípio, Criação, luz, trevas e vida. No entanto, dizer que Jesus era uma criatura só por causa disto não tem justificativa. Aliás, as TJ aplicam o "no princípio" em Ap.21.5 e 22.13 ao Pai (mesmo eles aplicam isto ao Filho).  

Será que as TJ iriam negar que o Pai estava no princípio? Este argumento é fraco e infundado. 

TJ: At. 28:6 não tem o artigo definido da mesma maneira que em Jo. 1:1c e é traduzido por virtualmente todas traduções como "um deus". ("Mas, depois de muito esperar, vendo que nenhum mal lhe sucedia, mudando de parecer, diziam ser ele um deus". At. 28:6) Este versículo prova que a tradução de Jo. 1:1c para "theos" que não tem artigo definido tem que se traduzir por "um deus". A TNM está correta.

RESPOSTA: Este argumento é errado e sem fundamento:

  • O Pai é chamado de "um Deus" na TNM muitas vezes: Lc. 20:38. Jeová não é "UM DEUS"? Sim, a Bíblia diz assim!
  • "Não há justificativa para traduzir THEOS EN HO LOGOS como 'a Palavra era um deus'. Não há nenhum paralelo sintático com At. 28.6, onde há uma declaração no discurso indireto; Jo. 1:1 é direto...e eu não sou cristão nem trinitário" (Dr. J. Johnson, da Universidade Estadual da Califórnia, Long Beach)
  • Se substituirmos Paulo na história de At. 28:6 com Jeová isto não provaria que Jeová é uma criatura ou "um de muitos" deuses politeístas. Imagine que Jeová assumiu uma forma humana e foi picado por uma serpente. A resposta das pessoas não mudaria nem um pouco!
  • Lucas, narrando At. 28:6, deliberadamente leva o leitor a entender que as pessoas pensavam que Paulo foi um dos deuses. João, narrando Jo.1.1 está comentando, por inspiração, a natureza de Cristo como Deus. Se At. 28.6 é paralelo a Jo.1.1, então OU João ensina politeísmo OU At.28.3 se refere a Jeová. É claro que as passagens não tem nada em comum.

TJ: Em Jo. 10:33 Os judeus Lhe responderam: "Não é por obra boa que te apedrejamos, e sim por causa da blasfêmia, pois, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo". Falta o artigo definido na palavra "Deus" como em Jo. 1:1. Aqui a TNM diz: "um deus" porque os judeus estavam obviamente acusando Jesus de ser um tipo de deus pagão. 

RESPOSTA: A verdadeira razão para os judeus quererem apredrejá-lo é que estavam acusando Jesus de ser Jeová, não algum deus falso. De fato, todas as grandes traduções da Bíblia dizem "te fazes Deus". Só a TNM usa "um deus". 
Qualquer um que sabe os elementos mais básicos de leitura do texto grego sabe que Jo. 10:33 não pode ser usado como prova que Jo. 1:1c deveria ser traduzido "um deus". Em Jo. 10:33 "um deus" [theon] é caso acusativo como o objeto direto do verbo "fazer", portanto, um pouco semelhante a um predicado anartro nominativo com uma forma do verbo "ser". Mas como em At. 28:6, o substantivo "theon" segue o verbo em vez de precedê-lo como em Jo. 1:1. O perito bíblico Adam Clarke disse: "Quando Cristo disse antes, em Jo. 10:30, 'Eu e o Pai somos um', se os judeus tivessem entendido (como muitos professos cristãos alegam) que Ele estava dizendo que só tinha a mesma vontade do Pai, eles não teriam tentado tratá-lo como blasfemador; porque neste sentido Abraão, Isaque, Moisés, Davi e todos os profetas, eram a um com Deus. Mas o que os irritou tanto era que eles entenderam que Jesus estava falando de unidade de natureza. Então eles dizem: 'e fazes Deus a ti mesmo', que eles entenderam, não num sentido figurado, metafórico, ou impróprio, mas no sentido mais literal do termo".
Lembre-se: muitos outros versículos se referem a Jeová como Deus onde não há artigo definido, da mesma maneira que em Jo. 10:33 

TJ: Mas nem todos concordam com isso. Philip B. Harner, no seu artigo "Substantivos Predicativos Anartros Qualificativos: Marcos 15:39 e João 1:1", disse que cláusulas tais como a de João 1:1, "com um predicativo anartro precedendo ao verbo, têm primariamente sentido qualificativo. Indicam que o logos tem a natureza de theos." Ele sugere: "A cláusula poderia talvez ser traduzida: ‘o Verbo tinha a mesma natureza de Deus.’" (Journal of Biblical Literature, 1973, pp. 85, 87) - (Raciocínios à Base das Escrituras, p.408)

1. Esta é uma deturpação deliberada do que Philip B. Harner disse em seu artigo,"Substantivos Predicativos Anartros Qualificativos: Marcos 15:39 e João 1:1" no Jornal de Literatura Bíblica. 
Harner disse no mesmo artigo: "a cláusula poderia ser traduzida: 'a mesma natureza como Deus'. Este seria um modo de representar o pensamento de João que é como eu entendo, que ho logos ["a palavra"], não menos que ho theos ["o Deus"], tinha a natureza de theos". ("Substantivos Predicativos Anartros Qualificativos: Marcos 15:39 e João 1:1" ) 

2. Harner nega que Jo. 1:1c pudesse ser traduzido "um deus" ou "divino" no mesmo artigo! A Torre de Vigia demonstra toda sua desonestidade citando o autor pela metade, enganando seus seguidores!

TJ: O erudito de grego, William Barclay, disse o seguinte: "João, em Jo.1.1 não está  identificando a Palavra com Deus. O versículo não diz ele que Jesus era Deus" (Sentinela, 15 de maio de 1977, pág.320, citado de seu livro Many Witnesses, One Lord, 1963, pág. 23 e 24).  

RESPOSTA: A STV fez uma coisa indecorosa, cortando a citação de William Barclay para fazer dizer o que eles queriam. Vejam o que o dr. William respondeu a eles: "o artigo da Sentinela, através de um corte na frase que eu disse, me fez dizer o contrário do que eu quis dizer". (carta de William Barclay para Donald Shoemaker).

Esta é uma satânica citação fora do contexto do que William Barclay disse. Neste caso,  Barclay escreveu uma carta para a Torre de Vigia criticando-os por terem feito isso. Esta é prova que a Torre de Vigia é especialista em enganar as pessoas quando dá citações (aliás, seus livros e revistas são forrados de citações de terceiros, mas muitas fora-do-contexto)! Normalmente, a Torre de Vigia cita de forma errada os autores depois que já estão mortos e não podem mais escrever cartas para eles criticando por os terem citado mal. 

TJ: No nosso livro "Ajuda ao Entendimento da Bíblia" (1971) há uma explicação: "uma tradução do ex-sacerdote católico Johannes Greber (ed. 1937) traduz a segunda vez que aparece 'Deus' em Jo.1.1 como 'um deus'". 

RESPOSTA: Esta foi uma das maiores referências que as Testemunhas de Jeová usavam para defender sua tradução de Jo.1.1 como "um deus". Há inegáveis provas que Greber já era conhecido como médium espírita pela Sociedade Torre de Vigia em 1953, mas eles não deixaram de usar Greber até 1976. Então em 1983, a Torre de Vigia alegou ter recebido uma "nova luz" e condenou Greber, fazendo seus seguidores cegos pensarem que eles só foram saber que ele era espírita em 1983! Que mentira deslavada! De fato, a Torre de Vigia diziam que as doutrinas reveladas por meio de espíritos a Greber eram verdadeiras. Lembre-se que a Sociedade Torre de Vigia acredita que o Espírito Santo inspira todos os seus livros, incluindo as revistas e que também inspirou a tradução da TNM. Greber estava fazendo a mesma alegação que as TJ fazem!

TJ: Ao comparar Gênesis 1:1 com o primeiro versículo do Evangelho de João, este comentário observa: "João 1:1, porém, fala de algo que já estava em existência nos tempos primevos; surpreendentemente, não é ‘Deus’ (Sentinela, 15 de dezembro de 1985, p. 25, citando Ernst Haenchen (Das Johannesevangelium. Ein Kommentar)

A Torre de Vigia altera totalmente a obra de Haenchen. Eles fazem um remendo com o que ele disse, dando uma idéia totalmente contrária do que Haenchen está dizendo. Eles esquecem o fato que Haenchen diz que Jesus não é uma criatura. Eles confundem o modalismo com a teologia trinitária. Eles redefinem as palavras de Haenchen como "divino" duma forma que o próprio Haenchen não iria gostar. Finalmente, eles confiam em uma tradução malfeita por Funk que tomava várias liberdades que Haenchen não tinha.

 

www.bible.ca
Tradução: Stephen Adams

 

Fundamentos da Fé

fundamentos
Nada Além de Cristo Jesus
 

Prateleira

Este é o homem a quem olharei...

0-este-e-o-homem-a-quem-olharei

"Treme da minha palavra...", Isaías 66:1-2

Como isto te parece? O Altíssimo, busca atentamente algo nos homens, algo cujo valor transcende as iguarias dos príncipes desta terra.