Qui16082018

Back Início Igreja Ecclesia - εκκλησία Biografias Albert Benjamin Simpson

Albert Benjamin Simpson

albert-benjamin-simpsonAlbert Benjamin Simpson (15 de dezembro de 1843 – 29 de outubro de 1919) (A.B. Simpson) foi um pregador evangélico canadense, teólogo, autor, e fundador da Aliança Cristã e Missionária, uma denominação evangélica protestante com ênfase em missões de evangelismo global.

Simpson nasceu em Cavendish, no Canadá . Foi o quarto filho do casal James Simpson Jr. e Janet Clark.

O autor Harold H. Simpson reuniu uma extensiva genealogia da família em Cavendish: Its History, Its People (Cavendish, Sua História e Seu Povo). Sua pesquisa estabelece a família Clark (o lado materno da família de A.B. Simpson) como uma das famílias fundadoras de Cavendish em 1790, e traça ancestrais comuns entre Albert B. Simpson e Lucy Maud Montgomery, autora de Anne of Green Gables.

O jovem Albert cresceu em meio à rígida tradição puritana da Igreja Escocesa Calvinista Presbiteriana. Sua conversão para a fé começou sob o ministério de Henry Grattan Guinness, um evangelista visitante da Irlanda, durante o reavivamento de 1859.

Simpson ficou algum tempo na área de Chatham, estado de Ontário, e recebeu seu treinamento teológico em Toronto, no Knox College, na Universidade de Toronto. Após sua graduação em 1865, Simpson foi posteriormente ordenado na Igreja Presbiteriana do Canadá, o maior dos grupos presbiterianos do país (o qual foi consolidado após sua partida para os EUA).

Aos 21 anos de idade ele aceitou um chamado para a grande Igreja Presbiteriana de Knox (fechada em 1971), que ficava nas proximidades de Hamilton, estado de Ontário. Em dezembro de 1873, aos 30 anos, Simpson deixou o Canadá e assumiu o púlpito da maior igreja presbiteriana de Louisville, no estado americano do Kentucky: a Igreja Presbiteriana de Chestnut Street. Foi em Louisville que, pela primeira vez, ele concebeu a pregação do evangelho para o homem comum, construindo uma simples tenda para esse propósito. Apesar de seu sucesso na Igreja de Chestnut Street, Simpson sentiu-se frustrado pela relutância desta em abraçar a responsabilidade de um esforço evangelístico mais amplo.

Em 1880 Simpson foi chamado para a Igreja Presbiteriana da Thirteenth Street (13ª Rua), em Nova Iorque, onde imediatamente começou a alcançar o mundo com o evangelho. Além das atividades evangelísticas na igreja ele publicava o jornal missionário The Gospel in All Lands(O Evangelho em Todas as Nações), o primeiro jornal missionário com gravuras. Simpson também fundou e iniciou a publicação de uma revista ilustrada chamada The Word, Work, and World (A Palavra, o Trabalho e o Mundo). Em 1911 a revista passou a se chamar The Alliance Weekly (A Aliança Semanal), depois Alliance Life (A Vida Aliancista), e agora é chamada a.life. É a publicação official da Aliança Cristã e Missionária nos Estados Unidos e Canadá.

Mas em 1881, após dois anos frutíferos na Igreja Presbiteriana Thirteenth Street, ele se demitiu a fim de começar um ministério evangelístico independente, visando os novos imigrantes e as massas negligenciadas de Nova Iorque. Simpson iniciou aulas informais de treinamento em 1882 de forma a alcançar “os negligenciados do mundo com os negligenciados recursos da igreja". Em 1883 um programa formal já estava funcionando, de forma que ministros e missionários estavam sendo treinados num contexto multicultural. A escola onde se iniciaram tais treinamentos foi o início do Nyack College e do Seminário Teológico da Aliança. Em 1889, Simpson e sua igreja mudaram-se para uma nova localidade na esquina da Rua 44 e 8ª Avenida, chamada de New York Tabernacle. Este lugar se tornou a base não somente de seu ministério de evangelismo na cidade como também de seu crescente trabalho de missões mundiais.

A educação disciplinada que Simpson recebeu aliada a seu talento natural fizeram dele um dos mais efetivos comunicadores da Palavra de Deus. Sua pregação trazia grandes bênçãos e conversões onde quer que ele estivesse, e sua abordagem única do evangelho de Jesus se tornou conhecida como “the Fourfold Gospel”, algo como “as Quatro Faces do Evangelho”: "Jesus nosso Salvador, Santificador, Médico Divino, e Rei Vindouro". As Quatro Faces do Evangelho são simbolizadas no logo da Aliança Cristã e Missionária: a Cruz, a Bacia, o Jarro e a Coroa. Sua especial ênfase no evangelho acabou por vir através de sua doutrina e experiência “Cristocêntrica”.

Atormentado por enfermidades por muito tempo desde sua infância, Simpson experimentou a cura divina após compreender que a Vida e a cura eram parte da bênção de viver em Cristo. Ele enfatizava a cura em suas Quatro Faces do Evangelho e usualmente dedicava uma reunião por semana para ensinar, ouvir testemunhos e pregar sobre esse tema. Embora este ensinamento tenha isolado a ele e à Igreja Aliança das principais denominações que não enfatizavam este ponto ou simplesmente rejeitavam a cura, a intransigente confiança de Simpson na Palavra e no poder de Deus o mantiveram permanentemente atuando adiante de seu tempo sem críticas ou rancores contra aqueles que discordavam dele.

O coração de Simpson para o evangelismo tornou-se a força motriz por detrás da criação da Aliança Cristã e Missionária. Inicialmente a Aliança não foi fundada como uma denominação, mas como um movimento organizado de evangelismo mundial. Hoje a Aliança Cristã e Missionária exerce um papel de liderança no evangelismo global.

No seu livro de 1890, “A Larger Christian Life” (“Uma Vida Cristã Mais Ampla”, numa tradução livre), Simpson discute sua visão para a igreja: “Ele(Cristo) nos mostra o plano para uma igreja Cristã que é muito mais que a associação de amigos com interesses comuns para ouvir uma vez por semana um discurso intelectual e entretenimento musical e continuar como que por procuração um mecanismo de trabalho cristão; em vez disso, uma igreja que pode ser ao mesmo tempo mãe e lar de toda forma de auxílio e bênção que Jesus veio para dar aos homens perdidos e sofredores, berço e lar das almas, fonte de cura e purificação, abrigo para os órfãos e angustiados, escola para a cultura e treinamento dos filhos de Deus, o arsenal onde estes são equipados para a batalha do Senhor e o exército que luta estas batalhas em Seu nome. Tal centro de pessoas neste mundo triste e pecador!” (tradução livre da p. 153 do livro “A Larger Christian Life”, de A. B. Simpson).

Durante o início do século XX, Simpson se tornou intimamente envolvido com o crescente movimento pentecostal, uma vertente do movimento de Santificação que surgiu entre as igrejas protestantes dos EUA no século 19. Era comum que pastores e missionários Pentecostais recebessem seu treinamento no Missionary Training Institute, hoje Nyack College (Nyack, estado de Nova Iorque), fundado por Simpson. Por causa disso, Simpson e a Aliança Cristã e Missionária tiveram uma grande influência no Pentecostalismo, particularmente nas Assembléias de Deus e na Igreja do Evangelho Quadrangular. Esta influência incluiu a ênfase evangelística, as doutrinas da Aliança, os hinos de Simpson, livros e o uso do termo ‘Gospel Tabernacle’ (“Tabernáculo do Evangelho”, tradução livre), que evoluiu em igrejas Pentecostais conhecidas como ‘Full Gospel Tabernacles’ (“Tabernáculos do Evangelho Pleno”).

Estas igrejas, entretanto, vieram a desenvolver uma severa divisão com a Aliança Cristã e Missionária a respeito da chamada “doutrina da evidência inicial” do pentecostalismo. Embora Simpson e a Aliança Cristã e Missionária abraçassem de todo coração o batismo (“preenchimento”) com o Espírito Santo e todos os dons espirituais, inclusive o dom de línguas, não podiam abraçar a posição de que somente o falar em línguas seria a evidência inicial do batismo com o Espírito Santo. Isto finalmente acabou por causar a emergência da Aliança Cristã e Missionária como uma denominação distinta.

Um grande número de instituições da Aliança Cristã e Missionária possui hoje o nome de Simpson, como a Simpson University em Redding, Califórnia (EUA), ou o Albert B. Simpson School em Lima, Peru. As igrejas da Aliança Cristã e Missionária estão hoje espalhadas pelos quatro cantos do globo, e podemos encontrá-las em lugares como por exemplo a Costa do Marfim, Brasil ou Rússia.

A.B. Simpson e sua esposa, Margaret, foram sepultados no Rockland County Campus do Nyack College em Nyack, estado de Nova Iorque (EUA).

 

Biografia de Albert Benjamim Simpson feita pela Aliança Cristã e Missionária

Albert Benjamim Simpson nasceu no dia 15 de dezembro de 1843 em Bayview, na Ilha Príncipe Eduardo no Canadá. Foi o quarto filho de uma família de 9 filhos. Nasceu em um lar puritano, onde a disciplina era severa e todos freqüentavam a Igreja Presbiteriana em Ontário. O pai ganhava a vida como fazendeiro e construtor de barcos, tinha um coração missionário e inspirou seu filho com uma visão missionária. A mãe deu para Simpson um amor pela literatura e arte. Morava num lar simples e piedoso onde a disciplina e o temor de Deus predominavam .Albert se converteu quando já era jovem, por ocasião de quase um afogamento. Simpson foi batizado pelo Rev. John Geddie, conhecido como o “apóstolo das Ilhas do Sul Pacífico”.  Quando Geddie chegou às ilhas em 1848, não havia cristãos e quando saiu das ilhas em 1874, não havia pagãos. Era o costume naquela época separar o filho mais velho para o ministério. Sendo este o caso, o irmão mais velho de Simpson preparava-se para ser pastor.

Aos 14 anos, Simpson leu um livro titulado O Mistério Evangélico da Santificação por Walter Marshall. Um parágrafo que influenciou Simpson a aceitar Jesus como Salvador foi o seguinte:

“A primeira boa obra que você poderá fazer é de crer no Senhor Jesus Cristo. Até que o faça, todo seu trabalho, orações, lágrimas e boas resoluções estão em vão. Crer no Senhor Jesus Cristo é simplesmente crer que Ele o salva conforme Sua Palavra, que Ele o recebe e salva aqui e agora; pois Ele tem dito:  ‘Quem vier a mim não será lançado fora.’  O momento que você fizer isto, você passará à vida eterna, será justificado de todo seu pecado e receberá um coração novo e toda a operação graciosa do Espírito Santo.”

Seu pai havia decidido que Howard, seu irmão mais velho, seria pastor. Albert  também tinha esse desejo profundo e pediu ao pai para que ele também pudesse se preparar. Então seu pai contratou um pastor que ensinasse latim, grego e matemática para os dois. Mais tarde comprou um cavalo para cada um, para que eles pudessem ir à cidade estudar.  Albert não ficou satisfeito com isso e, no ano seguinte, mudou-se para a cidade, para poder se dedicar mais aos estudos. Assim, ingressou num colégio local. Pela sua muita dedicação e esforço, e como não era forte fisicamente, acabou adoecendo ao ponto de ter quase um colapso total. O seu médico recomendou que ele não abrisse um livro por um ano. Depois de melhorar, retomou os estudos e, aos 16 anos, já estava trabalhando no colégio como professor e estava economizando para poder cursar a faculdade.

Aos 17 anos foi aprovado no exame do presbitério de London Ontário (composto por pastores e líderes das igrejas locais) e começou a estudar no seminário em Toronto. O seminário fazia parte de uma das faculdades da Universidade de Toronto, e era necessário 3 anos do curso de Letras, antes de poder estudar teologia.

Simpson entrou já cursando o terceiro ano, e logo estava pregando nas igrejas locais. Pagava as suas mensalidades com bolsas que ganhava em vários cursos acadêmicos. Aos 18 anos  leu o livro “O progresso da religião da alma” de Doddrige, o qual recomendava que se escrevesse um pacto com Deus . Passou um dia em jejum e oração, no qual escreveu detalhadamente em três páginas o seu compromisso com Deus e as bênçãos que esperava de Deus,  assinou, selou e desde aquele dia, cumpriu fielmente ao seu compromisso com Deus.
Simpson  fez este pacto com Deus em 19 de janeiro de 1861:

“Eu creio em Jesus e aceito a salvação oferecida por Ele, que é meu Profeta, Sacerdote e Rei, feito para mim, por Deus,  Cristo se fez minha redenção e minha completa salvação, minha justiça e minha santificação.  Ele tem subjugado meu coração rebelde pelo Seu grande amor. Portanto, eu tomo o amor de Cristo unicamente para a Sua glória.  Se houve algum dia, um pensamento meu de rebelião contra Ti, vença-o e traga-o à submissão. Qualquer coisa que possa opor-se à Tua divina vontade em mim, ó Deus, tira-o em nome de Jesus.  Eu me entrego a Ti, como “vivo entre os mortos” para voltar a viver somente para Ti.  Toma-me e usa-me inteiramente para Tua glória no nome daquele que está sobre todo nome, no nome de Jesus, eu Te peço. Retifica agora mesmo no céu, ó meu Pai, este pacto que acabei de fazer contigo.  Escreve nos céus, no Teu livro de recordações, que hoje eu cheguei para ser Teu, somente Teu para toda a eternidade.  Lembra-Te de mim na hora da tentação e que eu nunca me afaste deste pacto sagrado. Na fortaleza, ó Capitão da minha salvação, eu serei forte e mais que vencedor por intermédio daquele que me amou.  Sou de agora em diante um soldado da cruz de Jesus Cristo e um seguidor do Cordeiro de Deus, e meu lema será:  ‘Tenho um só Rei – Meu Jesus.’”

Simpson estava tendo dificuldades em pagar o dormitório da faculdade e, por isso, juntamente com o seu irmão Howard, alugou um quarto na casa de John Henry, presbítero da igreja que freqüentavam, onde conheceu Margaret, a filha mais velha família, a qual se tornaria sua esposa. No ano de 1861, Simpson entrou no Seminário Knox e se formou em abril de 1865. Aos 21 anos, completou o curso de teologia e logo aceitou o pastorado da igreja de Knox em Hamilton, Ontário no Canadá.  Foi ordenado ao ministério no dia 12 de setembro de 1865 e, no dia seguinte, casou-se. O casal teve 4 filhos e 2 filhas (Albert Henry, Melville, James, Mabel, Margaret, Howard). Ficou em Hamilton oito anos e, durante seu ministério, 750 novos membros foram acrescentados.

Simpson era tão dedicado ao ministério, que novamente sua saúde foi afetada em 1863 e foi-lhe recomendado dois meses de descanso.  Mas Simpson ficou apenas um mês. Em 1874 aceitou trabalhar na Igreja presbiteriana da Rua Chestnut em Louisville, Kentucky, EUA. A ênfase do seu ministério e o lema de sua pregação era: “Jesus somente”. Nos primeiros meses centenas de pessoas se converteram ao Senhor. Seu ministério foi abençoado e começou também uma reunião semanal com os pastores da cidade, onde oravam pelas almas perdidas, fazendo campanhas em conjunto com outras igrejas. Simpson chegou a alugar o auditório da Biblioteca Municipal, onde se reuniam semanalmente 200 pessoas de todas as classes de Louisville.

Em Louisville, teve um tremendo ministério, unindo todas as igrejas evangélicas para “sacudir” a cidade toda com o evangelho. Sua igreja cresceu tanto que teve que construir um templo novo e bem maior. O evangelismo contínuo atingia as massas com centenas de conversões. Simpson sentiu, apesar do êxito no seu ministério, que estava faltando algo na sua vida espiritual.

Lutava com problemas de amor próprio, egoísmo e auto-confiança  e desejava conquistar estes pecados na sua vida. Durante uma campanha com Major Whittle do Exército da Salvação ele viu e ouviu pregações com poder, uma presença de Cristo que ele não tinha. Ele sentiu um vazio, um sufoco espiritual que exigia mais de Deus – a plenitude do seu Espírito.

Em novembro de 1879 assumiu o pastorado da Igreja Presbiteriana da Rua 13 em Nova York. Era uma igreja rica e prestigiada, onde Simpson tentava convencer a Igreja de que era preciso alcançar o povo que estava ao redor (Atos 1:7,8). Um dos incidentes que ajudou Simpson a decidir deixar a igreja e comprometer-se com o trabalho de ganhar almas para Cristo aconteceu quando ele tentou a batizar 100 novos convertidos dentre a comunidade de imigrantes italianos. A igreja não aprovou sua decisão. A igreja o apoiava quando se tratava de edificação do corpo, mas não se esforçaram na obra evangelística, e nem saudaram com alegria os convertidos que eram pobres e imigrantes; enfim, os menos favorecidos. Simpson pregava também o batismo por imersão, o qual deixou a igreja indignada.

Durante esta época, Simpson continuava sofrendo fisicamente. Ele não conseguia terminar uma pregação sem quase desmaiar, pois seu coração fraco não resistia ao esforço. Em certa ocasião (1880), quando estava passando suas férias no acampamento de Old Orchard, no Maine, Simpson ouviu uma pregação a respeito da cura divina, dada pelo Dr.  Cullis um médico de Boston que deixara sua clínica levando esta mensagem aos enfermos.Depois de ouvir este sermão, Simpson começou a estudar a Bíblia para determinar para si mesmo se este ensino era correto. Após muito estudo e reflexão, chegou a conclusão de que era realmente bíblico e verdadeiro. Após esta constatação, sozinho entre os pinhos, Simpson orou a Deus pedindo a cura divina, pondo a teoria em prática e foi curado em 1881.

Ficou nessa igreja apenas 2 anos. Simpson sentiu a falta de apoio na sua igreja pela visão missionária e evangelística. Não desejando causar problemas, se demitiu do ministério em novembro de 1881. Deixou uma igreja prestigiada, um bom salário e partiu para um ministério aparentemente sem garantia, com uma grande família para sustentar. Todos diziam que ele havia errado, mas Simpson estava fazendo aquilo que Deus tinha proposto para ele.

Começou seu novo ministério evangelístico no dia 14 de Novembro de 1881 num auditório barato pregando sobre as necessidades espirituais da cidade de Nova York. Estavam presentes sete pessoas. O trabalho cresceu através de muitos crentes com a mesma visão de Simpson. Foi realizando três cultos aos domingos, e dois todos os dias da semana. À tarde havia reuniões para treinar líderes e à noite fazia pregações nas ruas, antes do culto. Seu objetivo era alcançar os não-alcançados, não importando a raça, classe social ou cor. Em pouco tempo precisaram alugar um cinema aos domingos, e mais adiante, comprou uma tenda enorme que colocou nas principais esquinas da cidade.

Muitas campanhas evangelísticas foram feitas com muitas conversões e curas. Em 1882, Simpson começou uma nova revista que hoje se chama ALLIANCE LIFE ( Vida Aliancista ). Ele fundou o primeiro Instituto Bíblico da América do Norte, hoje situado na cidade de Nyack perto da cidade de Nova York. Em 1883 alugaram o famoso Madison Square Garden para uma campanha evangelística e, em 1889, finalmente conseguiram um lugar permanente na Rua 44. Instalaram o Tabernáculo do Evangelho, o Instituto Missionário, uma livraria e casa publicadora. Um lar para pobres, bêbados, abrigo para mães solteiras e orfanato. Simpson já estava publicando uma revista quinzenal de missões mundiais, além de livros, folhetos, hinos e poesias. Em 1884, mandou o primeiro grupo de 04 missionários à África, ao Congo Belga (Zaire). Em 1886 começaram as Conferências Missionárias – uma em Nova York e outra em um acampamento em Old Orchard Beach, Maine, durante o verão.

Foi aí que organizaram a Aliança Cristã, e a Aliança Missionária, em 1887; que mais tarde se uniriam e passariam a se chamar “Aliança Cristã e Missionária”. Em 1889, a ACM foi organizada também no Canadá.  Foram treinados vários obreiros, que saíram pelo mundo afora para pregar o evangelho a toda criatura. Simpson foi convidado várias vezes para pregar na Europa e, em 1893, também visitou os obreiros da Índia, China e Japão. Em 1910 visitou a América Latina, fazendo paradas no Brasil, Argentina, Chile, Peru e Equador. Simpson morreu no dia 29 de Outubro de 1919, após passar a noite em oração pelos missionários.  Ele tinha 76 anos.

 

 

 

Fundamentos da Fé

fundamentos
Nada Além de Cristo Jesus
 

Prateleira

Este é o homem a quem olharei...

0-este-e-o-homem-a-quem-olharei

"Treme da minha palavra...", Isaías 66:1-2

Como isto te parece? O Altíssimo, busca atentamente algo nos homens, algo cujo valor transcende as iguarias dos príncipes desta terra.